Sinais de impotência em homens

Sinais de impotência em homens

Todo homem deve saber como a impotência se manifesta, a fim de identificar o problema a tempo e iniciar o tratamento. A doença desenvolve-se gradativamente e nos estágios iniciais pode não causar ansiedade no paciente. Mas com o passar do tempo, os sintomas característicos da impotência nos homens tornam-se mais pronunciados, trazem muito desconforto, afetando negativamente a vida sexual. É importante lembrar que nos estágios iniciais, a impotência é tratada de forma conservadora com sucesso e rapidez, e o risco de complicações é mínimo.

Tratamento da impotência ao primeiro sinal

Os primeiros sinais de impotência em homens costumam aparecer em uma idade mais avançada, porém, os jovens modernos têm maior probabilidade de enfrentar a doença, uma vez que não monitoram sua saúde, abusam de maus hábitos, levam um estilo de vida sedentário e não têm plena relações sexuais perdidas. Todos esses fatores afetam negativamente a função erétil, fazendo com que ela diminua.

O estágio inicial de impotência, cujos sintomas não são muito pronunciados, se manifesta principalmente pela ausência de uma ereção com total excitação. Outros sinais que devem alertar o homem e marcar uma consulta com o médico:

ereção fraca, que não é suficiente para o sexo;

perda de ereção durante a relação sexual;

ejaculação precoce;

ausência ou prolongamento da excitação sexual;

perda da ereção noturna.

Com o tempo, os sintomas da patologia irão piorar. As consequências da impotência: infertilidade, stress, ansiedade, baixa auto-estima, problemas nas relações familiares. Para evitar complicações, aos primeiros sintomas de disfunção erétil, é necessário marcar uma consulta com um urologista.

O tratamento depende da causa da doença, da idade do homem e do estado de outros órgãos. Se a natureza da impotência for orgânica, o tratamento conservador ou cirúrgico é prescrito. O regime de terapia medicamentosa inclui drogas que promovem a estimulação de ereção de curto prazo, bem como meios sistêmicos. Possíveis opções de destino:

terapia de reposição hormonal de testosterona;

inibidores seletivos de PDE5;

agentes que afetam o tecido cavernoso e têm um efeito vasodilatador;

o uso de preparações de origem vegetal e animal, eliminando a disfunção erétil.

Se os métodos conservadores de correção da impotência não trouxerem o resultado desejado, o médico sugere que o paciente recorra às técnicas cirúrgicas. Procedimentos operacionais comuns:

o uso de dispositivos a vácuo para melhorar a circulação sanguínea;

implantação de prótese plástica ou hidráulica no pênis;

enxerto de bypass.

Leia mais em: Erectaman